PARA BAIXAR O LIVRO “A ALQUIMIA” CLIQUE ABAIXO E AGUARDE UNS SEGUNDOS:
a alquimia

 
Na época dos alquimistas, a destilação era utilizada para extrair a quinta-essência dos corpos, ou seja, a verdadeira virtude dos materiais.
Esta busca os levou, por exemplo, à produção de “água ardente”, nome pelo qual era conhecido o álcool na Europa da Idade Média. As “águas ardentes” extremamente puras (álcool a 95°) eram misturadas com plantas, flores, frutos e raízes para que fossem obtidas substâncias aromáticas e voláteis – os perfumes.
Na prática alquímica a matéria primordial era submetida a tratamentos (destilações) para que fossem eliminadas suas impurezas e, para tanto, era necessário que seus componentes fossem separados. Logo depois, eles eram novamente amalgamados por intermédio do sal, que também fixava os elementos voláteis, ou seja, as virtudes. Era preciso desprender a matéria por meio do espírito e libertar o espírito por meio da matéria, ou, em outras palavras, fazer do fixo, volátil e do volátil, fixo, num processo em que as etapas são interdependentes. Desta forma, seria obtida a pedra filosofal.
A obtenção do milagroso elixir e da pedra filosofal resultaria na cura de todos os males humanos, tanto os orgânicos como os de caráter material.
Na época dos alquimistas, a destilação era utilizada para extrair a quinta-essência dos corpos, ou seja, a verdadeira virtude dos materiais.
Esta busca os levou, por exemplo, à produção de “água ardente”, nome pelo qual era conhecido o álcool na Europa da Idade Média. As “águas ardentes” extremamente puras (álcool a 95°) eram misturadas com plantas, flores, frutos e raízes para que fossem obtidas substâncias aromáticas e voláteis – os perfumes.
Na prática alquímica a matéria primordial era submetida a tratamentos (destilações) para que fossem eliminadas suas impurezas e, para tanto, era necessário que seus componentes fossem separados. Logo depois, eles eram novamente amalgamados por intermédio do sal, que também fixava os elementos voláteis, ou seja, as virtudes. Era preciso desprender a matéria por meio do espírito e libertar o espírito por meio da matéria, ou, em outras palavras, fazer do fixo, volátil e do volátil, fixo, num processo em que as etapas são interdependentes. Desta forma, seria obtida a pedra filosofal.
A obtenção do milagroso elixir e da pedra filosofal resultaria na cura de todos os males humanos, tanto os orgânicos como os de caráter material.
A transmutação dos metais no metal imperecível e puro – o ouro – e a obtenção do elixir para curar o maior dos males (a morte), constituiriam a realização máxima da alquimia, sua Grande Arte ou Grande Obra.
Os alquimistas associavam operações concretas a ideias filosóficas, ilusionistas e religiosas, que necessitavam, por seus poderes infinitos e sagrados, permanecer em segredo até o momento adequado para sua revelação ao escolhido (aprendiz). Estariam, assim, desenvolvendo um saber teórico e técnico que os possibilitaria acelerar o tempo e oferecer aos mortais a imortalidade. O alquimista é um elemento fundamental na realização das destilações, e não um simples observador. O criador (experimentador) e a criatura (experimento) constituem uma única coisa para a alquimia.
O ponto de vista do experimentador como participante, já consensual nas ciências sociais, foi também retomado pela física quântica, que alterou o termo observador para participante.
 
 
Mesmo que o cientista tenha o conhecimento prático do processo, se ele tiver perdido a pureza do espírito, a Grande Obra não poderá ser concluída.
Agora vamos voltar a exercitar nosso olhar científico, indo além do “primeiro recorte”. A partir das imagens abaixo, vamos simular os princípios do método científico.
  
Observe bem esta imagem.
 
    
Primeiro passo: SENTINDO
  
Quais foram as sensações despertadas em você ao ver cada uma dessas imagens?
Segundo passo: INTERPRETANDO

Que explicações você daria para cada uma das sensações que teve?

Terceiro passo: REGISTRANDO

Você pode proceder como o jornalista, que ao escrever uma reportagem procura responder às perguntas básicas:O quê?
Por quê?
Como?
Para quê?
Qual?
Quem?
Quando?
Quanto?
Onde?

Escolha algumas das perguntas acima, para auxiliá-lo na organização do seu pensamento, e crie um pequeno texto a partir de suas respostas.

http://www.educacaopublica.rj.gov.br/oficinas/quimica/sensibilidade/conteudo/04__os_alquimistas.htm

Anúncios

»

  1. Caro fráter sempre tive vontade de conhecer quem escreveu esse livro alquimia, é fantástico para que já possui um pouco de conhecimento, se puder ter um meio de comunicarmos seria muito bom abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s